sábado, 1 de janeiro de 2022

Pés e Anos

Decorrido um período em que pouco tenho editado por aqui, aproveito esta ocasião para fazer prova de vida. Agradeço, do fundo do coração, a todos os que me têm feito chegar, de algum modo, cuidado, simpatia e amizade. 

A todos os caros Amigos e Leitores que por aqui têm passado desejo o melhor: o que a cada um convém. Que o ano 2022 venha a ser uma oportunidade de realização das aspirações de cada um, com saúde e alegria.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Foto minha


Pés e anos não há dois iguais

nem num par de pés


Mesmo em todos os anos dobrados

Não há sorte que consiga par em fullen


Mas pés são pés e anos são anos

sempre de variado tempo


Não se medem em dias e meses

antes pelo que neles se dá e faz


É assim que serás o que és

sem vírgula a meio ou ponto


no fim nada te fará diferente

Nunca te arrependas do que és


 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

O 2022 será o melhor que nos vem à mão:

ter 3 (três) patinhos num ano!

Melhor só no céu. Em 2222...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

hajota



7 comentários:

  1. Continuar a acreditar em nós... venceremos qualquer obstáculo...encontraremos o caminho certo...
    Que haja alegria em 2022....
    Bom Ano...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  2. grande abraço
    Votos de Excelente ANO NOVO

    ResponderEliminar
  3. Que os três patinhos não nos façam de patos! :)

    Gostei muito da publicação!
    Que o Novo Ano surpreenda pela positiva.
    Bom 2022!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Em 2222 não estaremos cá, por isso aproveitemos o 2022 da melhor forma possível. O tempo foge. Há que aprender a lentidão para não parecer que vamos a fugir do tempo que nos cabe. "Devagar que tenho pressa", dizia a minha mãe, sempre sábia.
    "Não se medem em dias e meses
    antes pelo que neles se dá e faz". Concordo tanto consigo...
    Desejo que o seu ano seja muito bom, com a concretização dos seus sonhos, com saúde, com paz, com amor. E passando por este seu espaço, meu Amigo Agostinho...
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Coisa boa vir aqui e
    também deixar minha
    prova de vida!
    Adorei ler e rir
    não das,
    mas com suas colocações.
    Esperávamos um 2022 de um
    jeito, porém eu pelo menos
    Eu esqueci que será
    um tempo de sequelas
    seja das que o vírus vai
    deixando em nós ou
    em nossas vidas
    Verdade é que estamos vivos
    e que ainda nos valemos
    de palavras e de poesia.
    Quanto a 2222? Quero saber
    não, quero sim aproveitar
    cada segundo desse 2022
    que estou chamando de
    ano da Esperança. Em quê?
    Em dias melhores.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  6. Que o novo ano, não nos proporcione circunstâncias em que nos faça cair que nem patinhos... como a covid party eleitoral... que para já, está a desbaratar tanto esforço prévio de vacinação...
    Enfim!... Que todos os patinhos saibam bem nadar... e surfar os desafios de mais um ano, mergulhados numa conjuntura problemática... começámos bem... instabilidade política, a juntar-se a uma instabilidade que se sente ser transversal pelo mundo, num acumular de tensões, a que a pandemia deu um forte contributo... Enfim!... São os maiores desafios, que nos permitem dar o nosso melhor para os resolvermos... que 2022, seja um ano de sucesso e superação, e que não nos falhe em saúde, para o apreciarmos em toda a linha... e atingirmos as nossas metas!
    Adorei o poema, Agostinho, com o brilhante corolário final, ultra bem conjugado com a formidável imagem!
    Um beijinho! Os seus votos de Boas Festas, não se perderam... estão na publicação lá do meu canto de 14 de Dezembro, a que só consegui responder ontem... pois este tempo pandémico, continua a manter-me com as rotinas alteradas, em alerta máximo, com este muito transmissível Ó... que chegou de repente... e continua a mudar... sendo recente demais, para se achar que a virusice, está a normalizar...
    Que no meio da novidade e da turbulência, 2022, se nos afigure a todos incomparavelmente melhor, do que o ano findo! Tudo de bom, Agostinho! Muita saúde, para si e todos os seus, estimando que tudo esteja bem, aí desse lado...
    Ana

    ResponderEliminar
  7. Concordo com a minha amiga Graça Pires, em 2222 já não estaremos aqui, então aproveitemos o tempo que nos resta. Achei a fotografia belíssima.
    Vim agradecer sua visita ao meu blog.
    Um abraço

    ResponderEliminar